Análise do filme: Eu, mamãe e os meninos.

Olá, como vocês estão? Então, hoje eu trouxe uma análise feita para uma disciplina de psicanálise, que eu e uma amiga minha a Lary, fizemos. Entendedores de psicanálise, entenderão. Espero que gostem. 🙂

O filme se baseia na história de Guillaume, que durante toda sua infância não teve um investimento muito grande da libido da mãe. Já que era o terceiro filho e muito provavelmente sua mãe queria uma menina. Assim, ela não fazia o investimento libidinal devido e adequado ou ela fazia um investimento libidinal realmente acreditando que ele era uma menina(Como seu desejo).

Um certo momento do filme, Guillaume vai passar uma temporada com uma família espanhola e lá aprende a dançar exatamente como uma mulher e em determinado momento, uma dançarina comenta a forma dele dançar e ele realmente gosta, pois sabe que irá agradar a mãe o seu jeito feminino, assim sendo uma amostra exata do narcisismo primário da mãe para o menino formando o eu ideal. E nessa época quando ele está entrando no complexo de édipo e o pai é inferior, não consegue se impor e nunca consegue dar ordem, assim não consegue fazer o corte da castração, apesar de tentar.

 Guillaume ainda não tinha a noção da diferença anatômica entre os sexos masculino e feminino, até porque sua mãe é quem mandava na casa e o pai tinha o não tinha o falo em grande valor. Sendo a mãe em um complexo de masculinidade , e por essa falta, é outro motivo que faz com que o mesmo fique no complexo édipo.

Ele investe sua libido em objetos externos (Os Rapazes) sofrendo a perda dos mesmos e a libido retorna para si, narcisismo secundário e mesmo assim ele não se acha homossexual, até porque  ele nem sabe as diferenças anatômicas entre os sexos. E ele também tenta se negar, mas depois vai a procura de si mesmo, de sua identidade. E começa a ir em um encontro com um homem e ao ver o mesmo sem suas roupas, é o momento que Guillaume lembra do cavalo que tinha medo e percebe a diferença entre os sexos, e percebe a possibilidade de ser castrado, pois associa o tamanho do órgão do homem e cavalo e que para se libertar da castração ele vai perder o medo do cavalo no momento que faz isso, ele percebe sua heterossexualidade. Indo assim, atrás de uma mulher no mundo externo, apesar de sua mãe não gostar muito disso e achar que vai perder o falo.

É isso, espero que tenham gostado e até o próximo post. ❤ 🙂

Anúncios

2 comentários sobre “Análise do filme: Eu, mamãe e os meninos.

  1. Oieee.. Foi ótimo ter feito a dupla com VC Ellen, principalmente pq nos damos muito bem em questão a nota né 😂😂😍😍 Mas enfim, obrigada! 😊❤

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s